Games

Anos 90: 3 jogos para ficar em casa e 3 para sair dela

  Carolina Türck    terça-feira, 20 de novembro de 2018

Caso você tenha crescido nos anos 1990, se considere uma pessoa de sorte. Essa fase da vida já é carregada das transformações inerentes, mas a década implica em outros “grandes desafios”, como o que fazer com seu tempo livre. Ficar dentro ou fora de casa, brincar sozinho ou com amigos, videogames ou bolas de gude. Esse período foi do auge do desenvolvimento dos videogames e programas de tv, onde alguns já consideram o início da
era dos menores “dentro de casa”. Por outro lado, foi também o momento em que ainda se brincava muito na rua ou nos playgrounds, nas casas dos amiguinhos e amiguinhas, em gincanas, corridas, jogos com bolas
em parques e quadras.

Por isso, sem mais demoras, decidimos montar uma lista para relembrar, e por que não, jogar e brincar o que nosso corpo “já velho e decrépito” permite. Tudo aqui é possível, mesmo que você tenha uma coluna “de escritório”.

ESTÁ CHOVENDO, FICA EM CASA!

  • DOOM

Nem só de Nintendo e Mega Drive se viveu nos anos 90. Alguns jogos “de computador” foram lançados na época, como o impressionante Doom. Imersivo e em primeira pessoa, foi o que contribuiu como modelos para os jogos de perseguição e tiros das gerações seguintes. Com nove fases gratuitas, a primeira edição deixou marcas em toda a juventude, como o que acontece hoje com as experiências de VR. Não é à toa, que está entre os melhores videogames dos anos 90. Em 2016, foi lançado o Doom 4, ampliando a plataforma em XBox One, PS4 e, claro, PC.

  • ABC

Também conhecido como Stop, é a primeira imersão do jovem ao mundo das planilhas. Dividido entre colunas com categorias (Carros, “Cidade, País e Estado” – CEP – Frutas, Nomes de pessoas, Marcas, Bandas, Atores, Atrizes etc) e linhas para preenchimento, a ideia era contar nos dedos dos participantes, em ordem alfabética qual era a letra da vez. O preenchimento era rápido e o primeiro que acabasse gritaria “stop” ou, em nosso maravilhoso idioma o puro “parou”. A partir daí a contagem das seleções, a guerra pelas palavras inventadas e a pontuação final. É um jogo sem fim, mas ganha quem estiver com a maior pontuação.

  • WAR

Tradicionalíssimo jogo de estratégia lançado no Brasil nos anos 70, talvez te faça perder amizades se for extremamente competitivo. De tabuleiro, você ganhará um exército e um objetivo sorteado em cartas: pode ser conquistar um número de territórios do mundo, pode ser destruir um inimigo, não importa, o objetivo precisa ser cumprido – estamos num campo de batalha! O jogo conta com um pouco de sorte e, de fato, olhar estratégico aguçado, planejamento e persistência. Dura horas sempre, gera grandes discussões e é ótimo para desenvolver seus conhecimentos geográficos. Vale muito a pena!

VAI PRA RUA!

  • QUEIMADA

Também conhecido como Baleado, tudo o que você precisa é do espaço aproximadamente de uma quadra de vôlei e de uma bola. Serão duas equipes, sem número limite definido, mas com mínimo de quatro pessoas no
total para começar. As equipes ficam de frente uma para a outra e o objetivo é, literalmente, jogar a bola no rival de forma que ele deixe cair no chão ou não consiga pegá-la a tempo. Vale jogar em qualquer parte do corpo, exceto as mortais de sempre, como rosto e as que envolvem necessidades fisiológicas. O time que balear ou queimar mais rivais, ganha. Quanto maior as equipes forem, mais divertido fica.

  • PULAR CORDA

Sim, é o velho acessório dos boxeadores e pessoas que hoje fazem crossfit. A corda, essa companheira de sempre de atividades aeróbicas já foi um mero instrumento de diversão. Esqueça pular sozinho. É divertido, mas não se compara a fazer em grupo. Você precisará de uma corda com, no mínimo, o dobro da extensão da individual e mais duas pessoas, também no mínimo. A ideia é que as duas segurem as pontas da corda e você entre no meio, para
pular. Aí a criatividade é o limite, pode se aumentar a velocidade da rotação, inverter o sentido, pularem duas pessoas juntas ou três ou quatro, se o tamanho da corda permitir. Bom, divertido e barato.

  • BOLAS DE GUDE

Sim, é isso mesmo. Campeonato de bolinhas de gude. Ok, talvez sua coluna não permita, mas vale o ensaio. Compre ou encontre as suas, se você for do tipo que guarda relíquias do século passado, chame uns amigos. Você vai precisar de: bolinhas de gude e chão com terra. Junte quantos amigos e amigas quiser, façam o tradicional caminho para as bolinhas, a quadra delas e tente remover, com suas bolinhas as bolinhas adversárias neste espaço imposto. Ganha quem, literalmente, ganhar mais bolinhas. Também sem duração limite, como as melhores coisas da vida.

Deu saudades? Há um sem fim de outros jogos para alimentar a nostalgia e manter a mente e o corpo são, melhor impossível.

Comentários

Comentários

Carolina Türck

Carolina Türck

Brasileira, 33 anos, publicitária. Atualmente mora em Portugal e se dedica ao site Garotas Nerds, ao e-commerce do site e projetos pessoais. Cachorros, coca zero com muito gelo e chocolate com menta.

Todos os posts de Carolina »

Comenta aí!

Nuvem Hospedagem 50% OFF

Novidades por e-mail

Quer receber um boletim quinzenal com as principais novidades e produtos da nossa loja? Então assine nossa Newsletter abaixo. Não divulgaremos seu e-mail e não enviaremos SPAM, palavra de escoteira.

Lista de Desejos 0
Abrir sua Lista de Desejos Continue Comprando