Ciência

Fazendo e desfazendo gênero na Universidade – ECA-USP

  Natalia Sierpinski    sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Em agosto de 2018 a Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) recebeu a segunda edição do evento “Fazendo e desfazendo gênero na ECA” e nós entrevistamos um dos organizadores do evento, Gabriel Razo, sobre como foi essa experiência e qual a importância de debatermos essa temática no ambiente universitário. Gabriel Razo é graduando na Licenciatura em Educomunicação da ECA-USP e bolsista do projeto Diversidade na ECA.

Fazendo e desfazendo gênero na Universidade - ECA-USP

Garotas Nerds: Qual a relação entre o projeto de pesquisa e extensão Diversidade na ECA e o evento “Fazendo e Desfazendo Gênero na ECA”?

Gabriel Razo: O Projeto Diversidade na ECA surgiu do Programa Unificado de Bolsas da Universidade de São Paulo, orientado pela docente responsável Cláudia Lago, intitulado “Alteridade na ECA: construindo ferramentas e espaços de discussão e convivência a partir de pressupostos Educomunicativos”, que já promoveu diversos eventos na Escola de Comunicações e Artes (ECA- USP) visando debater assuntos que tangenciam a diversidade. E um dos eventos que o projeto já promoveu é o “Fazendo e Desfazendo Gênero na ECA”, realizado pela segunda vez em 2018, reunindo uma grande quantidade de trabalhos e pesquisadores que estão preocupados com a temática de gênero, sexualidade e seus atravessamentos.

Garotas Nerds: Quais mudanças você conseguiu perceber entre o evento deste ano e o do ano passado?

Gabriel Razo: É simbólico perceber algumas mudanças do ano passado (2017) para esse ano (2018), no ano anterior, recebemos uma quantidade significativa de trabalhos, porém, esse ano a quantidade foi surpreendente. A quantidade de trabalhos propostos foram acima do esperado e, naturalmente, o número de mesas de exposição aumentaram e as temáticas que os autores submeteram os trabalhos também. O evento recebeu mais de 70 trabalhos, que foram distribuídos em 12 mesas de exposições temáticas durante quatro dias, em todos os períodos (manhã, tarde e noite). É incrível perceber o quão diverso podem ser os temas de pesquisas relacionados ao gênero e as sexualidades: desde feminismo, masculinidades, corporalidades até jogos e educação. Outro ponto que vale destacar em comparação a esses dois anos de evento é a procura por essa temática. E nos parece que a tendência é aumentar.

Garotas Nerds: Como foi para você estar na organização deste evento pela segunda vez?

Gabriel Razo: Organizar o Fazendo e Desfazendo Gênero na ECA, para mim, é fazer um mergulho profundo no tema que tenho mais proximidade e atenção. Organizar e assistir um evento com essa diversidade de trabalhos me inspira ainda mais a pesquisar a temática, uma vez que o Gênero e as Sexualidades são temas ao qual tenho pesquisado e cada vez mais me aprofundado desde o início da graduação. Organizar esse evento, para mim, é como estar em casa, porém, é também receber visitas inesperadas com assuntos ao qual você não havia tocado e discutido antes.

Garotas Nerds: Por fim, pra você qual a importância da discussão dessa temática na universidade e na academia?

Gabriel Razo: As áreas da comunicação, educação e artes são áreas com muito conteúdo a ser pesquisado, ainda se tratando das temáticas de Gênero e Sexualidades. Perceber que a academia também está oferecendo suas contribuições para a temática é muito construtivo para a sociedade, mesmo em tempos de movimentos conservadores e cortes de investimentos na pesquisa e educação e perceber que o tema recebe a atenção de tantos pesquisadores é importante, uma vez que essas discussões se fizeram urgentes nos últimos tempos.

Fazendo e desfazendo gênero na Universidade - ECA-USP

Em 2019 teremos a terceira edição do “Fazendo e desfazendo gênero na ECA”, em meados de junho, no momento ainda sem dias definidos. A programação completa do evento deste ano pode ser conferida aqui, e na página Diversidade na ECA você pode ver os próximos eventos, ações e discussões sobre essa temática que vão continuar acontecendo na universidade, eles são abertos ao público externo e gratuitos.

Fazendo e desfazendo gênero na Universidade - ECA-USP

Natalia Sierpinski

Natalia Sierpinski

Educomunicadora e pesquisadora de quadrinhos, gênero e educação. Sou potterhead, não tenho treta entre Marvel e DC, gosto e acompanho ambas, adoro Star Wars, vídeo game, jogos de tabuleiro e cinema.

Todos os posts da Colaboradora »

Comenta aí!

Novidades por e-mail

Quer receber um boletim quinzenal com as principais novidades e produtos da nossa loja? Então assine nossa Newsletter abaixo. Não divulgaremos seu e-mail e não enviaremos SPAM, palavra de escoteira.