Séries e TV

Especial Dia Internacional da Mulher: Mulheres LGBT na cultura pop!

  Ary Nicéia    sexta-feira, 08 de março de 2019

Hoje comemoramos o Dia Internacional das Mulheres, um dia marcado pelas nossas recorrentes lutas por busca de espaço e direito. Quando falo em espaço, também falo de representatividade, uma palavrinha muito importante que vem ganhando destaque atualmente.

Mas o que é representatividade? Pode-se pegar o sentido literal da palavra, ou seja, é apenas representar um indivíduo ou grupo de pessoas que não costuma aparecer por aí por não cumprir a meta dos “padrões”. Agora que já estamos entendidos do assunto, vamos ver a seguir a representatividade de mulheres lgbtqia+++ na cultura pop.

Obs.: vocês sabem bem como é difícil de achar, porém tentarei dar meu máximo para ser diversa, okay?

Miss América Chavez

Começamos com ela, Miss América! Uma mulher latina, negra e lésbica!

Garnet (Steven Universe)

Rubi (Ruby) e Safira (Sapphire) são duas gems que quando se fundem, se transformam no fruto de seu amor -inclusive, tem uma música muito boa sobre -, Garnet! Mesmo as gems não possuindo sexo biológico e até mesmo uma forma física, a sexualidade das gems ficam bem claras. Inclusive, pra quem ainda tem dúvida, tem um episódio (ALERTA DE SPOILER) se casam e no meio da cerimônia, se transformam em Garnet. Por sinal há muita censura em alguns países por conter várias cenas de beijinhos.

Vale destacar também a relação da Rose Quartz e da Pérola, com as danças lindíssimas para formar Rainbow Quartz.

Infelizmente, Rose não está tão presente, mas Pérola já teve um “crush” por uma garota misteriosa de cabelos rosa, no final do episódio ela até consegue seu número de telefone.

Bill Potts (Doctor Who – 10º Temporada)

Existem alguns personagens lgbtqia+++ em Doctor Who, porém, essa é a primeira protagonista lésbica, e além disso, ela é mulher e negra, sempre presentes nas aventuras dessa temporada.

Max Caulfield, Chloe Price e Rachel Amber (Life is Strange)

Life is Strange é um jogo com histórias cotidianas e um pouco de ficção com bastante representatividade de meninas que gostam de meninas. Max é uma estudante de fotografia da Blackwell Academy, que reencontra sua amiga de infância Chloe Price totalmente diferente, não sendo mais aquela garota que ela costumava ver…

E onde entra Rachel nessa história? Rachel conhece Chloe, logo após a mudança de cidade de Max.

Nomi Marks e Amanita Caplan (Sense8)

Nomi e Amanita desempenham papéis importantíssimos na série como protagonistas. Nomi é uma mulher trans lésbica, casada com Amanita. As duas tem a função de “nerd da cadeira”, elas cuidam de todos os hacks e coisas relacionadas e, ainda sobra tempo pra ser um casal fofíssimo!

Korra e Asami (Avatar: A Lenda de Korra)

Não é de hoje que ouvimos especulações sobre a sexualidade de Korra, o que está tudo bem em quesito diversidade e representatividade, nenhum Avatar nunca me decepcionou e, depois de Steven, acho uma das animações mais empáticas.

Princesa Jujuba e Marceline (Hora de Aventura)

Desde o começo da animação, a equipe sempre confirmou uma possível história de amor entre as duas e choca um total de zero pessoas. Conforme as temporadas seguiam, o romance ficava mais explicito, até que no fim, surgiu um beijinho para aquecer nossos corações.

Cosima Niehaus e Delphine Cormier (Orphan Black)

Cosima (umas das clones) nunca escondeu sua sexualidade na série, sempre ficou bem explícito, então surge Delphine, tendo um contato bem rápido com Cosima. Além disso, elas são cientistas brilhantes e tiveram grande utilidade na série toda.

Existe uma fala muito importante de Cosima na série: “Minha sexualidade não é o fato mais interessante sobre mim”; ou seja, não precisamos nos preocupar com a sexualidade das outras pessoas, isso não muda nada em quem ela é!

Sophia Burset (Orange Is The New Black)

Mulher negra e trans com uma história muito interessante com algumas reviravoltas tristes. Sophia sempre foi marcada como alegre e conselheira, sendo a cabeleireira da prisão de Litchfield.

Elena Alvarez (One Day At a Time)

Elena é uma adolescente latina, lésbica e feminista. A maioria dos diálogos importantes na série são conduzidos por ela, com um show de explicações impecáveis. A série toda se baseia em assuntos atuais cotidianos, com temas importantes que devem ser abordados. Infelizmente, a série talvez seja cancelada, então assistam para esse cristalzinho ser renovado! Além disso, Elena se mostra bem nerd na série.

Ary Nicéia

Ary Nicéia

Apaixonada por livros, hqs, games, seus instrumentos musicais e batata. Metida a ilustradora e fotógrafa nas horas vagas. Futura desenvolvedora de games...

Todos os posts da Colaboradora »

Comenta aí!

Novidades por e-mail

Quer receber um boletim quinzenal com as principais novidades e produtos da nossa loja? Então assine nossa Newsletter abaixo. Não divulgaremos seu e-mail e não enviaremos SPAM, palavra de escoteira.