Literatura

Flip 2018: Escritoras mulheres são a maioria

  Carolina Türck    sábado, 18 de agosto de 2018

Pelo segundo ano consecutivo a Festa Literária Internacional de Paraty, em sua 16ª edição, a Flip 2018 reuniu mais escritoras do que escritores. O evento que aconteceu entre os dias 25 e 29 de julho de 2018, contou com 33 autores, sendo 17 mulheres e 16 homens. A grande homenageada deste ano foi a poetisa paulista Hilda Hilst (1930-2004).

O evento literário que é considerado um dos mais importantes do país teve curadoria da jornalista e crítica literária Joselia Aguiar. A Flip ‘das mulheres’ ressaltou temas como feminismo, criação e engajamento. Vale a pena conhecer algumas criadoras e suas respectivas obras:

Djamila Ribeiro

Autora de Quem tem medo do feminismo negro? (Companhia das Letras, 2018) e O que é lugar de fala? (Letramento, 2017), Djamila Ribeiro é uma das ativistas mais engajadas do feminismo negro no Brasil. Natural de Santos, São Paulo, é pesquisadora na área de Filosofia Política da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e seus trabalhos evidenciam temas como o feminismo, raça e gênero.

Isabela Figueiredo

Nascida em Maputo, capital de Moçambique, Isabela Figueiredo foi para Lisboa, a capital portuguesa, aos 12 anos. Estudou línguas e literaturas lusófonas, sociologia das religiões e questões de gênero, tornando-se jornalista e escritora. Seu primeiro livro, Conto é como quem diz (1988), levou o prêmio da Mostra Portuguesa de Artes e Ideias, no mesmo ano do lançamento. É autora de mais duas obras: Caderno de memórias coloniais (2009), obra central do debate sobre racismo e passado colonial português; e o romance A gorda (2016), ambos editados no Brasil pela Todavia (2018).

Selva Almada

Selva Almada é uma das grandes revelações da nova literatura argentina. A autora de contos e romances tem duas obras lançadas no Brasil: O vento que arrasa (Cosac Naify, 2015) e Garotas mortas (Todavia, 2018). Em Garotas mortas, Almada conta a história real de três casos de feminicídio ocorridos na Argentina na década de 1980. A escritora foi finalistas de importantes prêmios literários na Espanha.

Laura Erber

Além de escritora, a carioca Laura Erber também é artista visual. Em 2008, sua obra Os corpos e os dias (Editora de Cultura), foi finalista do Prêmio Jabuti na categoria poesia. É autora do romance Esquilos de Pavlov (Alfaguara, 2013) e dos livros infantis Nadinha de nada (Companhia da Letrinhas, 2016) e O incrível álbum da pulga Picolina, em parceria com Maria Cristaldi (Peirópolis, 2013). Sua publicação mais recente é A retornada (Relicário, 2017).

Maria Teresa Horta

Natural de Lisboa, Portugal, Maria Teresa Horta formou-se em Letras pela Universidade de Lisboa. Ficcionista e poetisa, lançou seu primeiro livro de poemas, Espelho inicial, em 1960. Enfrentou o período de censura do regime salazarista e tornou-se uma importante porta-voz do feminismo.  Entre suas publicações estão As Luzes de Leonor (2012) e Minha Senhora de Mim (2015), ambos da Editora Dom Quixote. Na Flip 2018 lançou Antologia de Poesia Erótica (Oficina Raquel).

Eliane Robert Moraes

A paulistana Eliane Robert Moraes é ensaísta e cruza literatura e filosofia em suas obras. Professora de Literatura Brasileira na Universidade de São Paulo (USP), também lecionou como visitante em universidades na França, Estados Unidos e Portugal. É especialista em Marquês de Sade e literatura libertina do século XVIII, Georges Bataille e surrealismo francês. Entre suas obras estão Perversos, amantes e outros trágicos (2013) e Antologia da poesia erótica brasileira (2015). Na Flip lançou O corpo descoberto – contos eróticos brasileiros – 1852-1922 (Cepe, 2018).

Escritoras mulheres são a maioria na Flip 2018

Liudmila Petruchévskaia

Um dos nomes mais importantes da literatura russa contemporânea, a romancista e dramaturga Liudmila Petruchévskaia começou a carreira escrevendo peças teatrais e seu primeiro livro foi Immortal Love (1987). Suas obras, que narram absurdo, fantasia e horror, foram censuradas pelo regime soviético até o final dos anos 90. Lançou na Flip 2018 a versão em português de Era uma vez uma mulher que tentou matar o bebê da vizinha: histórias e contos de fadas assustadores (Companhia das Letras, 2018), com original publicado em 2009.

Além destas, completa a lista as escritoras Bell Puã, Fernanda Montenegro, Gabriela Greeb, Iara Jamra,  Igiaba Scego, Jocy de Oliveira, Júlia de Carvalho Hansen, Leila Slimani, Lígia Ferreira e Thereza Maia.

Carolina Türck

Carolina Türck

Brasileira, 33 anos, publicitária. Atualmente mora em Portugal e se dedica ao site Garotas Nerds, ao e-commerce do site e projetos pessoais. Cachorros, coca zero com muito gelo e chocolate com menta.

Todos os posts de Carolina »

Comenta aí!

expertautopecas.pt

Novidades por e-mail

Quer receber um boletim quinzenal com as principais novidades e produtos da nossa loja? Então assine nossa Newsletter abaixo. Não divulgaremos seu e-mail e não enviaremos SPAM, palavra de escoteira.