Cinema

Crítica Minha Fama de Mau – Jovem Guarda e seus conflitos

  Patricia Piquia    sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Estreiou dia 14 de fevereiro nos cinemas a cinebiografia, Minha Fama de Mau, sobre a vida do cantor Erasmo Carlos. O filme é baseado no livro de mesmo título, escrito pelo próprio cantor.

O longa é dirigido por Lui Faria e conta com Chay Suede no papel de Erasmo Carlos. O filme vai desde a adolescência de Erasmo, seu interesse pelo Rock, como Tim Maia lhe ensinou a tocar violão, como ele conheceu Roberto Carlos, o mega sucesso da Jovem Guarda, junto com Roberto e Wanderléa, o impacto da saída do Roberto Carlos no auge do programa e tudo que Erasmo passou para se tornar o Tremendão.

Para quem gosta do rock da Jovem Guarda o filme é um prato cheio, aqueles que já não gostam, podem não se animar com o longa. Muito legal poder ver os sucessos daquela fase de volta, com uma boa construção de época. Erasmo é o típico malando carioca, dando seu jeito na vida. Todas as armações que Erasmo faz para chegar ao sucesso desde a sua relação com icônico Tião Maia, futuro Tim Maia, e a boa sacada dos amores de Erasmo, interpretados sempre pela ótima Bianca Camparato da serie 3% do Netflix, dão o tom cômico a trama. Aliado a boa interpretação de Chay e sua desenvoltura como cantor, assim como os atores que interpretaram Roberto e Wanderlea, cantando todas as músicas com sua voz, divertem o público. O filme só se estendeu muito no conflito entre Erasmo e Roberto no fim da Jovem Guarda, no mais é uma boa opção para o final de semana!

Patricia Piquia

Patricia Piquia

Nerd, brasiliense, estabanada e professora de inglês. Amo música, livros, séries, filmes, arte, corridas e viagens.

Todos os posts da Colaboradora »

veja também

Comenta aí!

Novidades por e-mail

Quer receber um boletim quinzenal com as principais novidades e produtos da nossa loja? Então assine nossa Newsletter abaixo. Não divulgaremos seu e-mail e não enviaremos SPAM, palavra de escoteira.