Já não é surpresa o sucesso (muito merecido) do novo filme da Marvel, Pantera Negra. O longa é um fenômeno nas bilheterias e está no topo dos mais assistidos em seu segundo final de semana consecutivo no Brasil.

O grande lucro, no entanto, está concentrado nas escolhas narrativas e na identidade visual, que privilegiam culturas africanas e negras, resultando em 134 minutos de representatividade expressa como sétima arte. Atores como Will Smith e Tessa Thompson – a Valquíria, de Thor: Ragnarok – já elogiaram a produção que continua quebrando recordes e ganhando popularidade.




O longa conta com uma trilha sonora incrível, que alcançou o topo do ranking da Billboard destronando o musical “O Rei do Show”, última trilha a ocupar esse lugar.

Pantera Negra: trilha sonora é mais um dos destaques do filme

Dirigido por Ryan Coogler (Fruitvale Station: A Última Parada e Creed), Pantera Negra integra dois tipos de trilha sonora original, uma orquestrada por Ludwig Göransson e a outra produzida pelo rapper Kendrick Lamar. Ambas se harmonizam e complementam com muita autenticidade as cenas e personagens.

Black Panther: The Album – Music From And Inspired By, teve curadoria do rapper e compositor americano, Kendrick Lamar, que já compartilhava de uma admiração mútua com o diretor do filme. O disco é marcado pelo hip hop/rap/R&B e conta com SZA, Khalid, Future, The Weeknd entre outros…

As músicas e os sons metalizados editados nos trailers, já demonstravam o estilo escolhido pelo diretor e descrevem bem o contexto wakandiano, com total inspiração tecnológica e africana. Aposto que a música “Wakanda”, assim como outras composições orquestradas, produzidas por Ludwig Goransson, trouxeram boas recordações e um sentimento de identificação aos fãs de Rei Leão. Para estudar os ritmos, o compositor viajou para diversos locais da África e se inspirou na sonoridade de diferentes tribos.




Os que gostaram do vilão, Erik Killmonger, interpretado por  Michael B. Jordan, devem se animar com “Paramedic”. Além de descrever a realidade das ruas e a personalidade do vilão, a música tem uma batida viciante. Se liga na intro:

“I am Killmonger, no one’s perfect
But no one’s worth this
We ain’t deserving of everything Heaven and Earth is
But word is, good, (this is my home)”

 

No Brasil, o Emicida, que desde criança é um grande fã de histórias em quadrinho, lançou uma música bem legal (com direito a vibranium, Usain Bolt e  Super Choque) em homenagem ao Pantera Negra, seu  personagem favorito…

“Minha pele, Luanda,  Antessala, Aruanda

Tipo T’Challa, Wakanda, Veneno black mamba (…)

Com a garra, razão e frieza, mano,

Se a barra é pesada,

a certeza é voltar, Tipo Pantera Negra (eu voltei)”

A trilha original de Pantera Negra já está disponível nas plataformas de streaming:

Caroline Zani

Caroline Zani

Main D.va, sonserina e viciada em Pinterest.
Historiadora, adora arte, gatos e comida indiana. Se diverte com filmes de terror e animações. Um pouco antissocial, mas nada que café não resolva.
Caroline Zani
  • 53
    Shares

Comentários

Comentários